BLOG

Velósias Gigantes

venham ver as velósias

velhas viúvas vivas

seu vinho vegetal valioso

vai varrer o vírus que vela a vulva

valha-nos vênus virtuosa

vinga as vidas vencidas

voga a vulga venenosa

vira e volta vem-vinda

viçam vórtices vigorosos

vagarosamente velozes

e as voluptosas virgens vivazes

vicejem seus vícios e suas virtudes

Na Serra do Cipó, um Parque Nacional que fica a cerca de 100 km de Belo Horizonte, brotam das pedras as intrigantes e belas Velósias Gigantes. Com seis metros de altura, são consideradas fósseis vivos, já que crescem cerca de um metro a cada 100 anos. Mas é uma outra espécie de Velósia, a vellazia nanazue, endêmica da Serra, que possui uma característica ainda mais impressionante: segundo pesquisadores a planta tem a maior concentração de uma substância capaz de derrotar o HIV. As pesquisas ainda estão em andamento, mas são promissoras. A variedade de plantas da Serra do Cipó é realmente surpreendente: são mais de 1.800 espécies catalogadas. A maioria delas enfrenta 300 dias de sol por ano e temperaturas que chegam a 60º C.

Há uns 10 anos atrás, passando pela Serra a caminho de Milho Verde, dormi numa pousada onde conheci um gringo. Apesar do meu inglês sofrível, tornei-me seu intérprete na missão de encontrar um senhor que morava próximo da localidade conhecida como Chapéu do Sol, para conseguir uma espécie de planta chamada Caju do Mato. Ele estava interessado na raiz da planta, que desenterramos com pás e enxadas, para manipular lá fora um remédio contra o câncer que atacava uma amiga. Veio ao Brasil exclusivamente para isso. Depois da empreitada não tive mais notícias do gringo nem de sua amiga. Mas não duvido que ela tenha se curado do câncer graças às propriedades da raiz do tal caju do mato.

Postado em 18/12/2006 Blog!

Compartilhe

Sobre o autor

Makely Ka (Valença do Piauí, 1975) é um poeta cantor, instrumentista, produtor cultural e compositor brasileiro. Makely é poeta, compositor e agitador cultural. Atuando em diversas áreas como a música, a poesia e o vídeo. Incorpora à sua produção artística um componente crítico e reflexivo. Autodidata, desenvolveu uma poética musical própria, amalgamando elementos da trova e do aboio de herança ibérica às novas linguagens sonoras urbanas como o rap, do despojamento da poesia marginal ao rigor formal da poesia concreta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Back to Top